25 de julho de 2009

≈ Não sei de nada


Apenas vejo o tempo passar

Nada consigo enxergar
Há uma luz a me cegar
Quero ver tudo

Sentir o mais profundo
Não estar na escuridão

Estar com alguém e não na solidão

Respirar

Que tudo seja como antes

Alegrias o tempo todo

Constantes a todo o momento

Fazer o que meu coração mandar
Sem precisar nada passar
Rir como antes

Ter vontade de sair

Por qualquer lugar

Por ai nem sei de nada

Aqui parada escrevendo

E imaginando

Quando isso vai se repetir
Vendo apenas a vida passar
Mas sinto isso vai existir

Novamente

E eternamente não precisarei

Viver voltando no passado

Apagado não está
Eu logo verei

Fran.R.M

(poesia antiga)

0 percepções:

Postar um comentário

Deixe aqui algumas palavras sobre o que compreendeu, a sua percepção do que leu...