Pular para o conteúdo principal

• As contradições


As palavras vão seguindo desvairadas
Flutuando pelo ar
Tudo falado não é nada
Em tudo existe contradição
Mas são apenas palavras do coração

Apenas mais um contrariada
Traída pelas minhas reais palavras
Absolutamente nada, palavras mortais
Ao que escrevo algumas coisas não fazem sentido

As luzes daqueles sonhos se apagaram
E pouco a pouco me deixaram
Sem palavras para escrever
Fazer tudo perfeito não

A perfeição se foi para distante
Bem longe daqui adiante
Sou apenas mais uma contrariada
Pelo que sinto

O sol cruzou a minha estrada
E me fez estar iluminada
Pelo que conheço agora
Sejam palavras tristes e dramáticas
E também felizes
Que anunciam a minha vida estática
Presa pelas contradições
Seja cedo ou tarde demais
A minha paz sempre vou reencontrar
---
Autoria: Franciéle.R.Machado

Comentários

  1. Nossas personalidades se mostram repletas de contradições. Elas se manifestam nas vontades , nos sentimentos, nas palavras faladas e até mesmo escritas. No momento em que escrevo este comentário ouço uma atriz dizer em um filme:"a alegria e a tristeza são 2 irmãs que andam de mãos dadas".

    Uma contradiz a outra, embora estejam sempre presentes em nosso EU,assim todos temos nossas horas boas e nossas horas ruíns. Escrevemos palavras alegres e em outras horas, tristes. Muitas vezes nos perdemos,mas a própria vida nos mostra oportunidades de reencontrar a paz após uma a agitação interior.

    Nossas emoções se resumem em idéias q em muitas vezes se contradizem, entram em conflito! Mas por um lado são estas mesmas contradições que nos fazem amadurecer, q nos ajudam, mais cedo ou mais tarde, a encontrarmos a verdadeira essência de nosso ser. Esta conquista é, sem dúvida, a principal chave que poderá abrir as portas do nosso universo, rumo a grandes momentos de paz e felicidade! =)

    Um beijo e um ótimo fim de semana, poetisa Fran! =)

    ResponderExcluir
  2. As contradições se dão por palavras ditas mal pensadas e por palavras ditas bem pensadas.
    Ou até mesmo por uma mudança repentina de opinião.
    Beijão!

    ResponderExcluir
  3. adoro tuas poesias.
    e sobre as contradições,acho que em algum momento da vida todos temos.

    ResponderExcluir
  4. As palavras instintivas só caem em contradição quando são postas ao que falamos racionalmente,creio eu.=P



    www.finalzindefesta.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Acredito eu que as palavras são traiçoeiras...
    Alguns dizem que a solução é o silêncio, mas isso encaminha à solidão.
    Então, devemos ter muita cautela, pois palavras proferidas por nossos lábios nem sempre são varridas pelo vento.

    Tenha uma boa tarde!

    ResponderExcluir
  6. Ahh que linda a poesia *--*
    eu particularmente adoro poesias , é uma forma diferente de expressar o que se sente.

    http://otempoeseusmomentos.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Nooossa, curti demais seu BLOG!
    Tbm curto muuuito poesias...

    espero que vc tenha muuito sucesso!


    Bjoos, estou te seguindo!

    ResponderExcluir
  8. adorei suas poesias *--* parabéns, sucesso com o blog :*

    ResponderExcluir
  9. Lindas, Lindas e lindas as tuas poesias *-*
    Amei mesmo, to te seguindo !

    ResponderExcluir
  10. caraca, muit muito linda msm a poesia, num sou o maior apreciador de poesias, mas sei reconhecer uma bela como a sua, parabens msm!

    ResponderExcluir
  11. nss, finalmente consegui comentar, e gostei do q li

    ResponderExcluir
  12. Continua escrevendo!

    Você tem muito talento.

    Quem sabe a gente se encontra em eventos literários!

    Abraço!

    ResponderExcluir
  13. Oi Fran, seu blog é um encanto ! Admirei a expressão poética em seu texto e a pofundidade de suas palavras numa perspectiva lírico- filosófica. Obrigada pelo carinho de sua visita e interesse em seguir o blog Sempre Poesia. Seja sempre bem vinda. Voltarei com mais tempo depois. Bj.

    ResponderExcluir
  14. Oi Fraann =D

    Realmente, como vc mesma disse "seria completamente um tédio viver na perfeição" ;D

    A imperfeição muitas das vezes nos motiva a sempre fazer e sempre lutar por algo.

    Beeeijoks para você e tenha um ótimo final de semana!! =D

    ResponderExcluir
  15. Oi tudo bem? sou bruna... estou te seguindo e vc esta seguindo meu blog de teste hehe fiz login no seu blog com o blog errado... desc...o meu blog é este...http://bruna-coisinhasdeblog.blogspot.com/
    se quizer visitar...bjossssssssss

    ResponderExcluir
  16. hehe, valeu franzinha!!!
    fico feliz por ter acertado neste,
    minhas inspirações estão mais secas do que um jardim no saara!rsrs

    bjs

    ResponderExcluir
  17. Olá! Muito boa Tarde! Obrigado pelo comentario gostei muito! Fique avontade para visitar meu blog sempre q que quiser! Vou seguir o seu, suas poesias sao lindas parabéns mesmo! :)

    ResponderExcluir
  18. Oiie ;D

    Muito obrigada pelo comentário, Fran!! ^^
    Com o passar do tempo, a gente vai amadurecendo
    e aprendendo (ou não) a lidar melhor com nossos sentimentos. rss

    Beeijoks para você e um ótimo dia! =DD

    ResponderExcluir
  19. UM DOS POEMAS MAIS LINDOS QUE JÁ LI NA BLOGOSFERA...

    ResponderExcluir
  20. gostei e te coloquei no blog roll deste blog literário meu, espero que goste da minha idéia de inclui-la...

    http://clubedasmusaslivre.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  21. As palavras e as contradições . bom tema . E resultou em uma linda poesia.

    Sucesso garota!

    ResponderExcluir
  22. Oh Deus =O..
    Não é q tu escreves bem mesmo...
    no início achei, a gostei da primeira..
    ah gostei da segunda..
    mas essa já é terceira e a melhor q li daki.. (só li 3)rs.
    Legal.. =)

    ósculos

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe aqui algumas palavras sobre o que compreendeu, a sua percepção do que leu...

Postagens mais visitadas deste blog

● Ponteiros tortos

Quantos sonhos loucos passaram por tua porta? Não viu as cores que tecem o céu, que mudou há tempos Perdemos a lucidez desde os anseios mais remotos Desde que a dúvida, calou qualquer tentativa torta
Me desnorteia respirar nesse véu de dias iguais Eu conversaria por horas dentro de mim mesma Com os mesmos traços e ainda os mesmos pedaços Embora sinto que meus anos correram demais
Voltaria para quem fui, correndo ao alento Retalhos do que bastou para amar, não seria para depois Basta de fugir do meu eu, sem contentamento! Eu e meus batimentos descompassados não somos dois 
Corremos na linha de qualquer outra perdição Entre a brandura e a loucura, sem ponteiros para seguir Na frente aos pés, aos poucos sinto a leve intuição Alguém mais despertou depois de tempos sem sentir?

Autoria: Franciéle R. Machado

• Avessos

Não sou eu há dias, ou horas Nem anteontem desde o sentido distorcido Que vaga beirando ao silêncio Linha tênue que embriaga
Não sou horizonte, nem estrada Pois parei em pontos distantes Além da lua e da noite E há dias permaneço assim intacta
E dentre tropeços, perdi os endereços Tenho casa só dentro de mim Para não dizer que sou perdida Nestas linhas vastas de insensatez
Não sei onde ficou o espelho Pois esta face não é minha Desde que me tornei ventania desfocada Que passeia sem qualquer adereço
Embora tenha no peito ideias sozinhas Que dos avessos perdem-se por aí Não sou eu, faz dias, um mês E quem sou? Linha do verso só por dizer?
Autoria: Franciéle Romero Machado

Amigos, desculpe a ausência do blog...Continuarei compartilhando cada verso com vocês!

Peito em estopim

Conversas do anoitecer
Só eu e você
Dentre olhares confortáveis

Reinvento, paisagens aleatórias de nós
O teu humor tão seguro de si
Um gosto de que algo entre nós 
Não pode fugir assim

Um salto no ar, pra quem quer tanto
Quando teus olhos me abraçam
Te percebo em cada canto
Da minha projeção mais impensável

Sei que não é pouco
Amar desperta a intenção
De embaralhar toda a nossa razão

Insano, como quem declara o que sente tão alto
E se o depois não houvesse?
Sorriria para ti, pois viveu um sonho em mim

Um tormento que me desatinou
Um suspiro em sua voz, ouço em meu interior
A vida que desabrochou de novo enfim

Quando nos reconstruímos
Mesmo quando parecera arrancar esse afeto por medo
Reviveu, peito em estopim

Pois decerto não era para ser o fim

Autoria: Fran Romero