Pular para o conteúdo principal

• Ignorando roteiros


Sobre a mesma linha
Atrás de desconhecidos
Ainda me sinto sozinha
Caminhando sem reconhecidos

Gostaria de sentar um pouco
E ver a calma de agora
Com meus dilemas loucos
De repente ir de uma vez embora

Tanto que esperei nesses sonhos
Por falta de ar me sufoquei
Nada mais suponho
Adiante caminharei

Sigam e sigam pelo planeta
Renunciando a rotina até que feliz
Se alguém quiser pode mudar de cometa
Na verdade aqui não se é infeliz

Sobre outra linha e sozinha
Por mim sem seguir os outros
No fim dessa linha serei tudo
Distante do mundo

Que cria um roteiro
Contorcido e nada verdadeiro
---
Autoria: Franciéle.R.Machado

Comentários

  1. Tu escreve de forma sensível,criativa e inteligente.
    Adorei o poema..acredito que o lado bom da solidão é a oportunidade do auto conhecimento, apesar de dificil.. mas o importante é seguir em frente,apesar de tudo.

    bjs

    ResponderExcluir
  2. Oi Frann, Sempre escrevendo lindamente ;D
    Sua sensibilidade é muito diferente de outros =D
    Parabéns!!

    Hoje eu estou com uma certa nostalgia. Rss =x
    Até postei sobre isso hoje...

    Enfim, postei já o selinho!!
    Mt Obrigad!

    Beeeijoks xD

    ResponderExcluir
  3. Gostei muito deste.
    Roteiros, receitas a serem seguidas...
    Tudo isso pra que?
    Somos únicos, e isso ninguém pode mudar.
    Parabéns pelo belo poema.
    Beijão. =)

    ResponderExcluir
  4. ooi ' vooc escreve mto mto mto beem ... eu ja te seguia e leio sempre ! parabéns de novo ;* e um beeijo

    ResponderExcluir
  5. ¬

    Lindos versos
    Lindo Blog


    Gostei mesmo!
    Abração

    ResponderExcluir
  6. Gostei do layot diferente de todos que já vi. otima postagem vou te seguir, se quiser me seguir fique a vontade


    http://opintolouco.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Adimiro o talendo de quem escreve tão bem quanto você. Parabéns!

    ResponderExcluir
  8. Eu já disse que adoreei seu blog??
    Eu axo que siim, mas se não fique sabendo que achei seu blog demaiis, já vim aqui outras vezes, eu axo até que vcê já comentou no meu blog!
    Muito linda sua poesia!Linda mesmo!

    Beeijo;*

    http://lagrimainterrompida.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. Suas postagens estão perfeitas. O stextos são bem bonitos, e de uma originalidade única... bem diferente dos outros.
    Já tô seguindo :)


    http://aoproximopasso.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  10. Parabéns pelo blog e pela poesia!

    É raro lermos alguma poesia que nos passe tranquilidade.

    Realmente foi muito bom te lido.

    espero voltar mais vezes.

    http://pedrolusi.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  11. Parabéns pelo blog,
    uma pintura x)
    Bjus doces pra vc.

    ResponderExcluir
  12. gostei muito do blog e do template...
    parabens
    continua escrevendo assim

    ResponderExcluir
  13. muito boa essa poesia!!
    é vc mesma que é a autora???
    tem talento!!!
    *desculpa a demorinha...tive problemas de conexão...mas não dou calotes até pq não gosto de receber!!!
    bjos

    ResponderExcluir
  14. Perfeito!

    Tanto que esperei nesses sonhos
    Por falta de ar me sufoquei
    Nada mais suponho
    Adiante caminharei
    Muuuito lindo (:

    Adorei o seu blog, parabéns
    estou te seguindo também (:

    ResponderExcluir
  15. Gostei do texto!
    e do título também :P
    fazemos nossas próprias escolhas ;)

    ResponderExcluir
  16. Muito bom. Texto deliciosamente obscuro, suficiente para nos identificarmos com ele.

    ResponderExcluir
  17. Parabéns pelo blog e pelos poemas. Fica um convite para que conheça nossa rede social de literatura: www.casadapoesia.ning.com e se tiver interesse, cadastre-se por lá.

    Renato Baptista

    ResponderExcluir
  18. Simmm Fran!
    Também acho aquele poema lindo *-*
    Reflete e demostra bem o significado de "Saudade"
    Ainda que esta muitas vezes seja uma incógnita Rss

    Beeijos!!

    ResponderExcluir
  19. hehehe, elogio vindo de você é sempre bem vindo.
    Pior que não conheço nehuma Stella, kkkk
    E todo mundo pergunta de onde conheço,rsrsr

    bjs

    ResponderExcluir
  20. Minha querida, você escreve lindamente, com certeza ja te plagiaram também...É uma pena. Vim agradecer o seu apoio la no meu post, adorei suas palavras, muito obrigada do fundo do meu coração!

    ResponderExcluir
  21. Gostei muito. Voce é criativa e têm uma determinação para colocar em palavras seus sentimentos. E mais, uma pequena analogia de minha humilde opinião: a sua sensibilidade é como uma pétala que flutua no vento eternamente sem ficar murcha. É esperta mas não pode parar nunca . . . Isso apesar de triste, é lindo!

    ResponderExcluir
  22. Suas palavras, sempre acompanhadas uma das outras de forma maravilhosa!
    Isto fez-me relembrar de uma música, que diz sobre "caminhar em silêncio"...

    Tenha uma boa tarde!

    ResponderExcluir
  23. Parabéens :)
    não é qualquer um que consegue fazer poesia, eu pelo o menos não consigo -rs
    gostei do blog ;*

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe aqui algumas palavras sobre o que compreendeu, a sua percepção do que leu...

Postagens mais visitadas deste blog

● Ponteiros tortos

Quantos sonhos loucos passaram por tua porta? Não viu as cores que tecem o céu, que mudou há tempos Perdemos a lucidez desde os anseios mais remotos Desde que a dúvida, calou qualquer tentativa torta
Me desnorteia respirar nesse véu de dias iguais Eu conversaria por horas dentro de mim mesma Com os mesmos traços e ainda os mesmos pedaços Embora sinto que meus anos correram demais
Voltaria para quem fui, correndo ao alento Retalhos do que bastou para amar, não seria para depois Basta de fugir do meu eu, sem contentamento! Eu e meus batimentos descompassados não somos dois 
Corremos na linha de qualquer outra perdição Entre a brandura e a loucura, sem ponteiros para seguir Na frente aos pés, aos poucos sinto a leve intuição Alguém mais despertou depois de tempos sem sentir?

Autoria: Franciéle R. Machado

• Avessos

Não sou eu há dias, ou horas Nem anteontem desde o sentido distorcido Que vaga beirando ao silêncio Linha tênue que embriaga
Não sou horizonte, nem estrada Pois parei em pontos distantes Além da lua e da noite E há dias permaneço assim intacta
E dentre tropeços, perdi os endereços Tenho casa só dentro de mim Para não dizer que sou perdida Nestas linhas vastas de insensatez
Não sei onde ficou o espelho Pois esta face não é minha Desde que me tornei ventania desfocada Que passeia sem qualquer adereço
Embora tenha no peito ideias sozinhas Que dos avessos perdem-se por aí Não sou eu, faz dias, um mês E quem sou? Linha do verso só por dizer?
Autoria: Franciéle Romero Machado

Amigos, desculpe a ausência do blog...Continuarei compartilhando cada verso com vocês!

Peito em estopim

Conversas do anoitecer
Só eu e você
Dentre olhares confortáveis

Reinvento, paisagens aleatórias de nós
O teu humor tão seguro de si
Um gosto de que algo entre nós 
Não pode fugir assim

Um salto no ar, pra quem quer tanto
Quando teus olhos me abraçam
Te percebo em cada canto
Da minha projeção mais impensável

Sei que não é pouco
Amar desperta a intenção
De embaralhar toda a nossa razão

Insano, como quem declara o que sente tão alto
E se o depois não houvesse?
Sorriria para ti, pois viveu um sonho em mim

Um tormento que me desatinou
Um suspiro em sua voz, ouço em meu interior
A vida que desabrochou de novo enfim

Quando nos reconstruímos
Mesmo quando parecera arrancar esse afeto por medo
Reviveu, peito em estopim

Pois decerto não era para ser o fim

Autoria: Fran Romero