Pular para o conteúdo principal

• Sofrer?


Quantas vezes ouvi meu coração gritar?
E sempre foi um motivo para chorar
Sem ter que olhar mais para o chão
Agora pareço estar me sentindo vazia
Esses dias vão se resolver
Sofrer?

Pensei que nunca ia ter que me prender
Observando a ilusão que ia
Pendurada e minhas mãos cedendo
Eu caia por conta própria
E não ninguém nada via

E sofrendo por pequenas frustrações
Isso é passado enterrado
Bem longe da minha visão
Longe de qualquer escuridão
Espero

Não posso mais me acostumar
Eu tenho vivido e não mais me iludido
Deixando tudo
No esquecimento na minha memória curta
Não sou mais tão egoísta

Vivendo a cada dia
Isso eu espero
---
Autoria: Franciéle.R.Machado

Comentários

  1. Fran,
    Que encanto...

    Me emociono com suas palavras.

    Um bejo amiga!

    ResponderExcluir
  2. O coração nem sempre é um bom conselheiro principalmente por ele ser péssimo ouvinte e falante, já que não tem ouvidos ou boca, mas sempre o seu sofre nos dá ótimas poesias
    n

    ResponderExcluir
  3. Perfeito!!!
    O importante é viver...
    Amei o post, arrasou!
    bjos

    ResponderExcluir
  4. Que poema mais lindo Fran!!!
    :D
    Parabéns flor, sempre atingindo nossos sentimentos em cheio.
    bjs

    ResponderExcluir
  5. Ola beleza? vi seu blog em uma comunidade achei bel legal, mas tipo
    tenho uma dica para tu da um Up nele, pq tu não passa ele para um
    dominio profissional gratis, tipo o google indexa mais rapido e vc ganha
    bem mais visitas alem de parcerias e dinheiro si for o caso.

    Aqui nesse Topico nessa comunidade tem varios tutoriais olha ai:

    http://www.orkut.com.br/Main#CommMsgs?cmm=1327088&tid=5442225959297148549&start=1

    Espero que ajude..

    Artilharia Digital

    ResponderExcluir
  6. Ola!Gostei dos seus poemas e do blog tbm..template mt bom!sao de autoria os poemas?
    Sinto algo de real nas palavras expessas...
    meu blog é de digamos Semi-poemas...
    vou te seguir!

    bjo

    ResponderExcluir
  7. Tudo bem Fran?

    Gostei realmente do que vi, por aqui.

    Seu blog é excelente e eu não o conhecia.

    Voltarei mais vezes para detalhadamente poder com calma , ver o que faltou.

    Tenho blogs de humor e caso deseje fazer uma visita ficarei muito honrado.

    Um abração carioca.

    ResponderExcluir
  8. Mesmo que seja o sofrer o guia, de você sempre sairão poemas que tocam fundo.
    Você é muito talentosa, e sabe manusear bem sentimentos, e levá-los de encontro ao pensamentos alheios...
    Naturalmente, você é uma poetisa.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  9. Oi Fran...

    Fica um convite para que aprecie o primeiro Conto Poético de minha autoria, que você pode ler lá na Academia da Poesia.... http://academiadapoesia.blogspot.com
    A sua visita e a sua opinião serão muito importantes para mim.
    Deixo o meu abraço* e esteja com Deus.

    Renato Baptista

    ResponderExcluir
  10. Seria possível alguem viver sem sofrer? Se não existisse o sofrimento, que tipo de pessoa nos tornaríamos ao amadurecer? Dizem que é preciso existir a escuridão para que possamos valorizar a luz.

    Mas se ao longo da vida descobrimos meios de sermos fortes na superação dos sofrimentos e de aproveitar com alegria e equilíbrio os momentos de luz, já nos tornamos seres humanos muito mais felizes. :)

    Beijos e tenha um lindo fim de semana querida Fran! :)

    [ ]´s

    ResponderExcluir
  11. Nossaaaaaaa, mt lindo, mt msm, gamei aki kk', bjocas, sucesso pro blog ae!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe aqui algumas palavras sobre o que compreendeu, a sua percepção do que leu...

Postagens mais visitadas deste blog

● Ponteiros tortos

Quantos sonhos loucos passaram por tua porta? Não viu as cores que tecem o céu, que mudou há tempos Perdemos a lucidez desde os anseios mais remotos Desde que a dúvida, calou qualquer tentativa torta
Me desnorteia respirar nesse véu de dias iguais Eu conversaria por horas dentro de mim mesma Com os mesmos traços e ainda os mesmos pedaços Embora sinto que meus anos correram demais
Voltaria para quem fui, correndo ao alento Retalhos do que bastou para amar, não seria para depois Basta de fugir do meu eu, sem contentamento! Eu e meus batimentos descompassados não somos dois 
Corremos na linha de qualquer outra perdição Entre a brandura e a loucura, sem ponteiros para seguir Na frente aos pés, aos poucos sinto a leve intuição Alguém mais despertou depois de tempos sem sentir?

Autoria: Franciéle R. Machado

• Avessos

Não sou eu há dias, ou horas Nem anteontem desde o sentido distorcido Que vaga beirando ao silêncio Linha tênue que embriaga
Não sou horizonte, nem estrada Pois parei em pontos distantes Além da lua e da noite E há dias permaneço assim intacta
E dentre tropeços, perdi os endereços Tenho casa só dentro de mim Para não dizer que sou perdida Nestas linhas vastas de insensatez
Não sei onde ficou o espelho Pois esta face não é minha Desde que me tornei ventania desfocada Que passeia sem qualquer adereço
Embora tenha no peito ideias sozinhas Que dos avessos perdem-se por aí Não sou eu, faz dias, um mês E quem sou? Linha do verso só por dizer?
Autoria: Franciéle Romero Machado

Amigos, desculpe a ausência do blog...Continuarei compartilhando cada verso com vocês!

Peito em estopim

Conversas do anoitecer
Só eu e você
Dentre olhares confortáveis

Reinvento, paisagens aleatórias de nós
O teu humor tão seguro de si
Um gosto de que algo entre nós 
Não pode fugir assim

Um salto no ar, pra quem quer tanto
Quando teus olhos me abraçam
Te percebo em cada canto
Da minha projeção mais impensável

Sei que não é pouco
Amar desperta a intenção
De embaralhar toda a nossa razão

Insano, como quem declara o que sente tão alto
E se o depois não houvesse?
Sorriria para ti, pois viveu um sonho em mim

Um tormento que me desatinou
Um suspiro em sua voz, ouço em meu interior
A vida que desabrochou de novo enfim

Quando nos reconstruímos
Mesmo quando parecera arrancar esse afeto por medo
Reviveu, peito em estopim

Pois decerto não era para ser o fim

Autoria: Fran Romero