Pular para o conteúdo principal

• Noite de Dezembro





É alegria, mais que euforia
Está ultrapassando meus poros
Vem rápido e pulsar irradia
E no interior a amedronta evaporo

É a paz em te reencontrar!
Um bater do coração, acelerar!

A infinidade de bobos sorrisos
Boba tenho muito sido?
Saberá um dia que te preciso
E que essa emoção só tem vencido

Que fulgida paz se aconchegando
E o travesseiro abraço
Imaginando estar te abraçando
E uma noite dessas junto a teus passos

A você que me desprende
Faz com que eu me renda
Ao gritar o amor que te surpreende
Tão imenso que me perco em fendas

Assistindo você completar
O que um dia foi apenas silenciar


---

Autoria: Franciéle R.Machado

Comentários

  1. -Essa poesia trata-se de algo bem recente, foi escrita a pouco tempo no dia 13.

    Nesse amontoado de linhas há os sintomas mais simples e cativantes do amor,de encontrar a pessoa que se ama.Afirmo isso pois a escrevi depois que vi uma pessoa que não via a alguns dias, e esse sentimento não tem ainda o lado que machuca e assim o amor torna-se assim só sorridente e com uma esperança guardada ao coração...

    Tive vontade de colocar isso sobre a poesia para que quem quiser entendê-la melhor, mas cada pessoa encaixará as palavras a sua própria vida e é isso que faz a poesia algo sublime pois faz a gente se encontrar! =D

    E Bem-Vindos a todos!
    #Beijos e Abraços...
    [Adoro a cada comentário que recebo e a cada seguidor]

    ResponderExcluir
  2. Otimo poema, como todas as outras poesias que vs escreve, no amr sempre resta uma esperanca pra gente neh ?por mais que agnt nao esteja com a pessoa que amamos fica sempre aquela esperanca aquela vontade de ficar junto, sorrir junto, compartilhar as coisas juntos.
    beeijos;*

    ResponderExcluir
  3. Que maravilha de poema! Adorei teu blog e estou te seguindo, caso queira seguir-me também, acesse: http://asvozesdomar.blogspot.com/
    Feliz Natal!
    Abç!

    ResponderExcluir
  4. Que lindo poema, minha flor.
    Ah, nada como a alegria de se reencontrar...é tudo mágico!!!!

    Beijos e tenha uma ótima semana.
    Te espero lá no blog ;)

    www.nicellealmeida.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. O amor ainda no início é o que há de mais perfeito. Afinal, ele ainda se atém aquilo que nos apaixona, todas as coisas que nos cativam no outro.
    Sempre muito bons os seus escritos!

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Lindo seu blog.
    Amei suas poesias.. escritas tão profundamente que fazem com que eu me encontre nelas.
    Parabéns!

    ResponderExcluir
  8. ''Boba tenho muito sido?
    Saberá um dia que te preciso''

    essa frase foi a que mais me marcou, pq ficamos tão bobas quando nos apaixonamos? Amor as vezes me parece um tanto bipolar...

    ResponderExcluir
  9. Hello! Your site really interesting, especially the pictures I really love and I recently came across your blog and have been Watching and looking pictures along. I have enjoyed your web blog. Nice blog. I will keep visiting this blog very often. Please to comment this my site and links
    downloadfree-2010
    chamkhmerangkor-thoeurnhuts
    phnomsroks
    phnomthmey
    hotsexshow
    hotshowgay
    You have a good job, thanks your invited my site.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe aqui algumas palavras sobre o que compreendeu, a sua percepção do que leu...

Postagens mais visitadas deste blog

● Ponteiros tortos

Quantos sonhos loucos passaram por tua porta? Não viu as cores que tecem o céu, que mudou há tempos Perdemos a lucidez desde os anseios mais remotos Desde que a dúvida, calou qualquer tentativa torta
Me desnorteia respirar nesse véu de dias iguais Eu conversaria por horas dentro de mim mesma Com os mesmos traços e ainda os mesmos pedaços Embora sinto que meus anos correram demais
Voltaria para quem fui, correndo ao alento Retalhos do que bastou para amar, não seria para depois Basta de fugir do meu eu, sem contentamento! Eu e meus batimentos descompassados não somos dois 
Corremos na linha de qualquer outra perdição Entre a brandura e a loucura, sem ponteiros para seguir Na frente aos pés, aos poucos sinto a leve intuição Alguém mais despertou depois de tempos sem sentir?

Autoria: Franciéle R. Machado

• Avessos

Não sou eu há dias, ou horas Nem anteontem desde o sentido distorcido Que vaga beirando ao silêncio Linha tênue que embriaga
Não sou horizonte, nem estrada Pois parei em pontos distantes Além da lua e da noite E há dias permaneço assim intacta
E dentre tropeços, perdi os endereços Tenho casa só dentro de mim Para não dizer que sou perdida Nestas linhas vastas de insensatez
Não sei onde ficou o espelho Pois esta face não é minha Desde que me tornei ventania desfocada Que passeia sem qualquer adereço
Embora tenha no peito ideias sozinhas Que dos avessos perdem-se por aí Não sou eu, faz dias, um mês E quem sou? Linha do verso só por dizer?
Autoria: Franciéle Romero Machado

Amigos, desculpe a ausência do blog...Continuarei compartilhando cada verso com vocês!

Peito em estopim

Conversas do anoitecer
Só eu e você
Dentre olhares confortáveis

Reinvento, paisagens aleatórias de nós
O teu humor tão seguro de si
Um gosto de que algo entre nós 
Não pode fugir assim

Um salto no ar, pra quem quer tanto
Quando teus olhos me abraçam
Te percebo em cada canto
Da minha projeção mais impensável

Sei que não é pouco
Amar desperta a intenção
De embaralhar toda a nossa razão

Insano, como quem declara o que sente tão alto
E se o depois não houvesse?
Sorriria para ti, pois viveu um sonho em mim

Um tormento que me desatinou
Um suspiro em sua voz, ouço em meu interior
A vida que desabrochou de novo enfim

Quando nos reconstruímos
Mesmo quando parecera arrancar esse afeto por medo
Reviveu, peito em estopim

Pois decerto não era para ser o fim

Autoria: Fran Romero