28 de maio de 2011

• Em borrões moro




Mofa-se esta cidade de drama
E a maquiagem se borrra
O rosto já mais límpido se acalma

Errôneo é fingir que nada se ama
A reclamar da paciência que torra
Um desconforto vil a alma

Acalentou essa sensação em arrepio
Uma sutileza se revela
Tanto sei que muito ignoro

Esse drama, a chuva, o inicio
Nem é capítulo de novela
Mas me revelo em borrões, ali moro

Molham-se meus leves gestos
Nesses devaneios modestos
Borrões parecem meu único protesto

---

Autoria: Franciéle R. Machado

8 comentários:

  1. Wow! Eu aprendo muito contigo sempre! Grato por sempre me inspirar! Abraços!

    ResponderExcluir
  2. Revela-se de forma plena confessional neste poema, gosto da forma como escreves e relaciona às cenas e detalhes ao teu sentimento do instante e circunstância, gostei bastante, sempre surpreendente nos versos,

    um abraço!!

    ResponderExcluir
  3. vc costuma escrever muito bem, esse texto é simplesmente fantastico... parabéns poeta!!!!

    ResponderExcluir
  4. Palavras ricas!!! Cada vez melhor!!

    xD

    ResponderExcluir
  5. OOi Fran... aki é Ewerton dono do ESMDownload, não sei se vc reparou + eu voltei a atualizar meu blog... eu tinha parado pelo fato de estar estudando e trabalhando muito, + agora tudo voltou ao normal, se quiser voltar a ser parceira estamos juntos... grande abraço e vc talentosa como sempre ^^
    bjo

    ResponderExcluir
  6. Lindos poemas... parabéns!

    www.momentsofmylife-ap.blogspot.com

    ResponderExcluir

Deixe aqui algumas palavras sobre o que compreendeu, a sua percepção do que leu...