20 de maio de 2013

• Não meras unidades




E a correria dos acelerados dias
Nos fez abandonar o pensamento da reflexão
E permanecer na desordem habitual

As pessoas vãs e frias
Ficam inertes de toda a verdadeira razão
É como um conflito de frieza banal

Corpo parado sem compreensão
Vê caos, mas não se revolta, não se indaga
A mente apenas fixada na praticidade

Ah, esse nosso pensar pode ser indignação!
Que a alma supérflua não afaga
Quando refletimos, não somos do universo meras unidades

Um alguém apenas prático
É um ser humano estático.

Autoria: Franciéle R.Machado

9 comentários:

  1. Olá Fran!
    As vezes me pergunto se essa correria desenfreada nos levará a algum lugar melhor, é quase certo que não...
    Como nos perdemos nessa pressão diária em que vivemos.
    Resumiu tudo nessa linda obra!
    Grande abraço, sucesso e grato pela visita!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz sempre que recebo algum comentário seu, é um prazer ouvir isto já que és um grande poeta! Abraço!

      Excluir
  2. OI FRANCIÉLE!
    ADOREI RECEBER TUA VISITA.
    UM TEXTO BASTANTE REFLEXIVO, NOS DANDO CONTA DE NOSSA RESPONSABILIDADE FRENTE A VIDA E SUAS MAZELAS E QUE TEMOS QUE FAZER PARTE ATIVA NA MESMA PARA NÃO SERMOS MEROS COADJUVANTES DE NÓS MESMOS...
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. E é bem assim.
    Faço força para não ser
    apenas um ser humano
    estático.
    Gostei!
    abraço
    e obrigada pelo carinho.

    ResponderExcluir
  4. Retribuindo a visita!

    Pois é, Fran, essa correria e esse caos tiram um tanto da nossa capacidade de reflexão e percepção sobre as coisas que nos cercam. Ótimo texto.

    Beijos.
    www.dilemascotidianos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Olá, querida Fran!
    Grato pela visita, estou esperando ansioso por uma nova obra!
    Grande abraço!

    ResponderExcluir

Deixe aqui algumas palavras sobre o que compreendeu, a sua percepção do que leu...