Pular para o conteúdo principal

• Qualificações


Não!
Jamais signifique a falta de força
De um lutador
E se qualifique como alguém sem amor
Será desta forma quem?
Do planeta uma visão embaçada
Ou a uma expressão desleixada

Não!
Nem qualquer desistência quando o sonho é real
Nem um palpitar normal
Nem a escuridão que se acerca
Sim a essa luz que por aqui cerca

Sempre serei a esperança palpitando
A euforia que chega sempre dançando
Mil escolhas, mil qualificações
Pretendo ser uma das soluções

De variados problemas
Rindo da vida a constituir lemas
Observar essa grande qualificação
Não deixar que a maldade adentre
O batimento do meu coração
---
Autoria: Franciéle.R.Machado

Comentários

  1. Lindo poema...e a imagem que vc escolheu pra ilustra-lo foi perfeito.

    ResponderExcluir
  2. fran que musicalidade incrível, dancei pelo poema, lindo

    Bravo!

    ResponderExcluir
  3. Muito bom.
    Fala sobre tudo, muito bem sobre como não ser omisso.
    Você sempre escreve muito bem, parabéns!

    ResponderExcluir
  4. Fran,
    como você é uma boa poeta...
    Tão jovem e tão madura.
    transpira beleza
    E e como és bela.

    ResponderExcluir
  5. Como sempre, lindas poesias você escreve querida Fran!! Tenha um domingo de sol, beijos no coração ;)

    ResponderExcluir
  6. Belo poema.
    Obrigada por no-lo oferecer.

    Um abraço

    ResponderExcluir
  7. Francile,

    Meus parabéns! eu já tinha adicionado seu blog a meus favoritos mas não tive tem pode comentar antes.
    Eu sou muito visual então gosto muito de blogs harmoniosos e bem elaborados assim como o seu. Ainda mais quando o conteúdo é tão bom quanto a aparência. bjs e boa semana.Se tiver um tempo leia meu e.book está disponível nos blogues.

    ResponderExcluir
  8. Voce tem talento. Suas rimas tem harmonia e intensidade. Adorei! o blog é super fofo.
    E não dei calote, estava lendo outros blogs, mas já estava vindo pra cá. Sucesso!
    By: inworldoflua

    ResponderExcluir
  9. ahh, sou suspeitíssima também para falar de suas poesias, né? :o
    Mas o que dizer? PERFEITA!

    Arrasou demais Fran ♥

    :t


    :s << muito engraçadinho haushas

    ResponderExcluir
  10. bom dia com poesia, bjs
    Caravelas

    Na ânsia de encontrar
    alguém para se amar,
    almas sofridas e solitárias
    lançam o coração ao mar.

    Na forma de caravelas
    movidas ao sabor do vento
    as vezes na calmaria,
    outras, em meio ao tormento.

    Navegam em busca do tesouro
    que é um verdadeiro amor.
    Mas nem sempre conseguem
    e atracam no cais da ilusão e dor.

    Marujos! como dizia Camões:
    "Navegar é preciso"
    Porém, se não aportam
    na terra de amor prometida:

    Levantem âncora e partam
    continuem pelos mares a procurar,
    pois o importante nessa busca:
    é manter o coração a navegar!

    Valter Montani

    ResponderExcluir
  11. Lindo esse poema...Eu entendi q nunca devemos ser omissos e nos auto despresar. Q devemos seguir adinte e não desistir :j

    ResponderExcluir
  12. Liiiiiiiiindo :)
    Obrigado por posta-lo em seu blog.
    Tem um ótimo gosto!
    Gostei do teu blog
    Abraço forte

    ResponderExcluir
  13. Texto muito bonito e interessante!
    A poesia quando bem feita alimenta a alma.

    Parabéns!


    www.communiquebr.blogspot.com
    -A fórmula da informação

    ResponderExcluir
  14. Mais um que acha esse texto um máximo
    e ficamos agradecidos por nos passar.. =)

    http://redesenhei.blogspot.com/
    passa lá.

    ResponderExcluir
  15. Muito bonito, é sempre bom saber que a arte ainda interessa a muitos...^^

    ResponderExcluir
  16. Adorei a poesia!
    *
    Seu banner foi trocado...
    Bjos:)

    ResponderExcluir
  17. Parabéns, gostei muito :D te seguindo já.

    ResponderExcluir
  18. Olá , Linda!=) Já peguei o teu novo banner. Muito obrigado. Beijos! :)

    [ ]´s

    ResponderExcluir
  19. Oiiii, tem um selinho pra vc lá no meu Blog...espero que goste...

    Blogbeijoooos...rs!!

    ResponderExcluir
  20. FRan,fiquei todo trêmulo lendo isso.kkk!Como sempre:ameiiii!MAis e mais inspiração é o que posso desejar.Boa noite!

    ResponderExcluir
  21. Simplesmente Linda!!!
    Parabéns, ja sou seu seguidor!!!

    ResponderExcluir
  22. Como sempre você visitando o meu e eu esqueço de vir aqui... Enfim, ler o seu blog é ficar de bem com a vida... É uma das soluções para o tédio que possa vir!
    Beijos,

    ResponderExcluir
  23. Queria ser como tu guria! Mas, meu autocontrole é péssimo e não consigo dar um passo certo que seja!

    Um abraço!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe aqui algumas palavras sobre o que compreendeu, a sua percepção do que leu...

Postagens mais visitadas deste blog

● Ponteiros tortos

Quantos sonhos loucos passaram por tua porta? Não viu as cores que tecem o céu, que mudou há tempos Perdemos a lucidez desde os anseios mais remotos Desde que a dúvida, calou qualquer tentativa torta
Me desnorteia respirar nesse véu de dias iguais Eu conversaria por horas dentro de mim mesma Com os mesmos traços e ainda os mesmos pedaços Embora sinto que meus anos correram demais
Voltaria para quem fui, correndo ao alento Retalhos do que bastou para amar, não seria para depois Basta de fugir do meu eu, sem contentamento! Eu e meus batimentos descompassados não somos dois 
Corremos na linha de qualquer outra perdição Entre a brandura e a loucura, sem ponteiros para seguir Na frente aos pés, aos poucos sinto a leve intuição Alguém mais despertou depois de tempos sem sentir?

Autoria: Franciéle R. Machado

• Avessos

Não sou eu há dias, ou horas Nem anteontem desde o sentido distorcido Que vaga beirando ao silêncio Linha tênue que embriaga
Não sou horizonte, nem estrada Pois parei em pontos distantes Além da lua e da noite E há dias permaneço assim intacta
E dentre tropeços, perdi os endereços Tenho casa só dentro de mim Para não dizer que sou perdida Nestas linhas vastas de insensatez
Não sei onde ficou o espelho Pois esta face não é minha Desde que me tornei ventania desfocada Que passeia sem qualquer adereço
Embora tenha no peito ideias sozinhas Que dos avessos perdem-se por aí Não sou eu, faz dias, um mês E quem sou? Linha do verso só por dizer?
Autoria: Franciéle Romero Machado

Amigos, desculpe a ausência do blog...Continuarei compartilhando cada verso com vocês!

Peito em estopim

Conversas do anoitecer
Só eu e você
Dentre olhares confortáveis

Reinvento, paisagens aleatórias de nós
O teu humor tão seguro de si
Um gosto de que algo entre nós 
Não pode fugir assim

Um salto no ar, pra quem quer tanto
Quando teus olhos me abraçam
Te percebo em cada canto
Da minha projeção mais impensável

Sei que não é pouco
Amar desperta a intenção
De embaralhar toda a nossa razão

Insano, como quem declara o que sente tão alto
E se o depois não houvesse?
Sorriria para ti, pois viveu um sonho em mim

Um tormento que me desatinou
Um suspiro em sua voz, ouço em meu interior
A vida que desabrochou de novo enfim

Quando nos reconstruímos
Mesmo quando parecera arrancar esse afeto por medo
Reviveu, peito em estopim

Pois decerto não era para ser o fim

Autoria: Fran Romero