Pular para o conteúdo principal

• Ao que é real

Trouxe meus suspiros de repente
Você, que a minha alma varria
Eu sorria ao seu lado e você tão bem sabia
(Aquele sonho no início do dia isso previa)

Que aquela noite mostraria seus olhos de perto
Com as luzes da cidade tão viva e agitada
Com a música alta, com a temperatura fresca, com a emoção
Até com o incerto sendo suspeito de tirar a razão

E estou surpreendida
É tanta emoção que estou prendida
Ao intraduzível!
Ao que não me cabe explicar e explicar

Sentir é ser surpreendido e não querer nada mais dizer
Fechar os olhos e ao instante se render
Que é estar tão perto...assim!


---Fran.Machado




(Primeiro poema do ano, abrindo com palavras felizes)

Um Feliz Ano Novo!

Comentários

  1. Minha amiga que lindo poema para começar o ano. Devemos aproveitar ao máximo cada bom momento que a vida nos concede. Desejo-lhe um excelente ano 2012. Que seja um ano pleno de realizações pessoais e profissionais, sonhos realizados, alegrias constantes, saúde, paz, amor e incontáveis momentos felizes. BOM ANO NOVO!
    Beijinhos
    Maria

    ResponderExcluir
  2. isso é vc escreveu é tudo o que eu preciso
    o Real!

    ResponderExcluir
  3. Muito lindo esse poema Fran, adorei. Parabéns!
    Bjinhoss XD

    ResponderExcluir
  4. Na verdade, muito bonito. bJO linda.
    Sem Guarda-Chuvas | Blogspot

    ResponderExcluir
  5. Começou bem o ano, Fran!
    Que seu talento esteja sempre em evidência, pois suas obras são muito profundas, nos deixam melhores.
    Grande abraço, sucesso, feliz 2012!

    ResponderExcluir
  6. Muito belo... Adoro o teu pensar e sempre vou adorar, pois sei que sua tendencia mental e sentimental, é somente evoluir se fim... até o fim dizer que sim... " O que é impossivel " Te admiro e tu sabes!

    ResponderExcluir
  7. OLÁ, QUERIDA
    Que o seu Novo Ano seja repleto de realizações e bênçãos!!!
    Um Novo Olhar sobre todos os segmentos da sua vida e em todos os níveis do seu viver...
    Novas alegrias e nova paz de espírito...
    Novos horizontes a alcançar...
    Novos ações, novas intenções e novas operações...
    Viva 2012 que chega pra ficar e nos renovar!!!
    Seja muito abençoada e feliz!!!
    Bjm festivo

    ResponderExcluir
  8. Olá, Franciéle!

    Belo poema e eu faço uma analogia entre ele e... a água que forma as Cataratas do Iguaçu, quando por ocasião do período chuvoso nas nascentes do rio Iguaçu, aqueles litros e mais litros do precioso líquido em obediência à lei da gravidade, à pressão do caudal daquela enorme capacidade, esses litros d'água mudam a paisagem ali naquelas cataratas, mas, se o aspecto tradicional como costuma ser visto na maior parte do tempo durante um ano, não perde a importância energética e funcional que a água tem e, diga-se: a beleza do conjunto cresce a energia potencial também e assim, minha cara amiga, digo que, por analogia a sua enorme vontade de tornar público o grande volume de emoções e sentimentos, exercendo já uma pressão somada àquela do seu belo coração, para liberação em forma de palavras rimadas como na maioria dos seus poemas se vê, então, essa paisagem literária normal mudar no aspecto, mas, a poesia continua intrínseca na dimensão abrangente da obra e ao final mesmo com o Caos, a mensagem atinge o seu objetivo numa equiparação ao que diz aquele ditado popular: "Deus escreve certo usando escrever por linhas tortas"!!!!

    Um abraço!!!!!

    ResponderExcluir
  9. Nossa... ainda não tinha visto a sua idade vc tem apenas 17 anos e já escreve versos como uma autentica e única poetisa, parabéns! quase nunca tenho errado e meses atrás vi uma garota como vc que me mostrou alguns versos eu a aconselhei a publicar e agora ela tem editora e breve lançará mais um livro, vc com estudo e com seu sentido aguçado e percepção que tens, e muito, vai longe!
    mais uma vez parabéns por seus belos versos.
    obrigado por ter visitado o Verso Reverso
    Beijão!

    ResponderExcluir
  10. Traga esse suspiro, para nós.

    CONVITE

    Primeiro, eu vim ler o seu blogue.
    Agora, estou lhe convidando a visitar o meu, e se possivel seguirmos juntos por eles. O meu blogue, é muito simples. Mas, leve e dinamico. Palpitamos sobre quase tudo, diversificamos as idéias. mas, o que vale mesmo, é a amizade que fizermos.
    Estarei grato, esperando VOCÊ, lá.
    Abraços do
    http://josemariacostaescreveu.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Olá,
    Os sonhos de amor irradiam vivacidade sem fim...
    Feliz 2012!!!
    Bjm de paz e alegria

    ResponderExcluir
  12. Franciéle, como sempre lindos textos. Desejo-te um 2012 repleto de boas surpresas!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe aqui algumas palavras sobre o que compreendeu, a sua percepção do que leu...

Postagens mais visitadas deste blog

● Ponteiros tortos

Quantos sonhos loucos passaram por tua porta? Não viu as cores que tecem o céu, que mudou há tempos Perdemos a lucidez desde os anseios mais remotos Desde que a dúvida, calou qualquer tentativa torta
Me desnorteia respirar nesse véu de dias iguais Eu conversaria por horas dentro de mim mesma Com os mesmos traços e ainda os mesmos pedaços Embora sinto que meus anos correram demais
Voltaria para quem fui, correndo ao alento Retalhos do que bastou para amar, não seria para depois Basta de fugir do meu eu, sem contentamento! Eu e meus batimentos descompassados não somos dois 
Corremos na linha de qualquer outra perdição Entre a brandura e a loucura, sem ponteiros para seguir Na frente aos pés, aos poucos sinto a leve intuição Alguém mais despertou depois de tempos sem sentir?

Autoria: Franciéle R. Machado

• Avessos

Não sou eu há dias, ou horas Nem anteontem desde o sentido distorcido Que vaga beirando ao silêncio Linha tênue que embriaga
Não sou horizonte, nem estrada Pois parei em pontos distantes Além da lua e da noite E há dias permaneço assim intacta
E dentre tropeços, perdi os endereços Tenho casa só dentro de mim Para não dizer que sou perdida Nestas linhas vastas de insensatez
Não sei onde ficou o espelho Pois esta face não é minha Desde que me tornei ventania desfocada Que passeia sem qualquer adereço
Embora tenha no peito ideias sozinhas Que dos avessos perdem-se por aí Não sou eu, faz dias, um mês E quem sou? Linha do verso só por dizer?
Autoria: Franciéle Romero Machado

Amigos, desculpe a ausência do blog...Continuarei compartilhando cada verso com vocês!

Peito em estopim

Conversas do anoitecer
Só eu e você
Dentre olhares confortáveis

Reinvento, paisagens aleatórias de nós
O teu humor tão seguro de si
Um gosto de que algo entre nós 
Não pode fugir assim

Um salto no ar, pra quem quer tanto
Quando teus olhos me abraçam
Te percebo em cada canto
Da minha projeção mais impensável

Sei que não é pouco
Amar desperta a intenção
De embaralhar toda a nossa razão

Insano, como quem declara o que sente tão alto
E se o depois não houvesse?
Sorriria para ti, pois viveu um sonho em mim

Um tormento que me desatinou
Um suspiro em sua voz, ouço em meu interior
A vida que desabrochou de novo enfim

Quando nos reconstruímos
Mesmo quando parecera arrancar esse afeto por medo
Reviveu, peito em estopim

Pois decerto não era para ser o fim

Autoria: Fran Romero