19 de maio de 2018

Peito em estopim




Conversas do anoitecer
Só eu e você
Dentre olhares confortáveis

Reinvento, paisagens aleatórias de nós
O teu humor tão seguro de si
Um gosto de que algo entre nós 
Não pode fugir assim

Um salto no ar, pra quem quer tanto
Quando teus olhos me abraçam
Te percebo em cada canto
Da minha projeção mais impensável

Sei que não é pouco
Amar desperta a intenção
De embaralhar toda a nossa razão

Insano, como quem declara o que sente tão alto
E se o depois não houvesse?
Sorriria para ti, pois viveu um sonho em mim

Um tormento que me desatinou
Um suspiro em sua voz, ouço em meu interior
A vida que desabrochou de novo enfim

Quando nos reconstruímos
Mesmo quando parecera arrancar esse afeto por medo
Reviveu, peito em estopim

Pois decerto não era para ser o fim

Autoria: Fran Romero


Um comentário:

  1. Lindos versos, cada sentimento que ele é capaz de transmitir revela a felicidade de quem conheceu o amor e o medo de extinguí-lo, palavra por palavra verso por verso o que você escreve Fran são pedaços de você e quem lê se encanta e se surpreende. Nunca deixe de escrever, é parte de sua essência e os seus versos são parte de você... Espero poder um dia comprar um livro seu quando você publicar...

    ResponderExcluir

Deixe aqui algumas palavras sobre o que compreendeu, a sua percepção do que leu...